Connect with us

Política

Políticos e personalidades que afirmam ter votado em Lula criticam derrotas do governo em pautas ambientais

Publicado

em

Políticos e celebridades que apoiam o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticaram a gestão do petista nos últimos dias por novas medidas anunciadas e concessões a parlamentares. Sérgio Marone e Mateus Solano juntamente com outros atores e ativistas postaram um vídeo no Instagram para mostrar a sua indignação contra as atitudes do governo em questões sobre o Meio Ambiente e territórios indígenas. No vídeo os apoiadores do atual presidente estão pedindo assinaturas para petição que será entregue ao presidente como uma forma de pressioná-lo.

Clique aqui e confira: https://www.instagram.com/reel/CtM-9fspCdq/?utm_source=ig_web_copy_link&igshid=MzRlODBiNWFlZA==

Já no Twitter, o Youtuber Felipe Neto, um dos maiores apoiadores do presidente, também criticou a atuação do governo na pauta de Meio Ambiente nos últimos dias.

“Hoje foi um dia lamentável do governo Lula. O desmembramento do Meio Ambiente,
afrouxamento do Código Florestal, tudo com o apoio do PT e posts celebrando. Não há explicação razoável para esse cenário..” – escreveu o YouTuber.

Marina Silva (Ministra do Meio Ambiente) e Sônia Guajajara (Ministra dos Povos Indígenas), também não estão satisfeitas com as medidas que vêm sido tomadas no congresso, pois tiveram muitas derrotas nos últimos dias. Uma derrota significativa diz respeito à mudança prevista em uma MP do governo de Jair Bolsonaro, que afrouxa regras de proteção à Mata Atlântica, um dos principais biomas do país.

Publicidade

Vale lembrar que decisões do Congresso relacionadas ao Meio Ambiente foram um dos temas que mais engajaram na campanha de Lula, após quatro anos de duras críticas à gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Gospel Channel – Carolina Fragoso com informações da BBC News Brasil

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe um comentário

Política

Senador Petista Fabiano Contarato, protocolou pedido de prisão contra Pr. André Valadão

Publicado

em

O senador Fabiano Contarato (PT-ES) enviou a solicitação ao Ministério Público Federal pedindo a detenção do Pr. André por suposto crime de homofobia, após a comunidade LGBTQIA+ ter interpretado trechos de uma pregação do líder religioso como discurso de ódio.

Além da ação que visa a detenção do Pastor, o parlamentar pede o pagamento de reparação em R$ 1 milhão por danos morais coletivos.

“O representado praticou, de forma reiterada, crime de racismo. Caso o MPF não entenda pela prisão, o senador pede que sejam fixadas medidas cautelares”, disse Contarato, segundo informações do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

O senador afirma ainda que a multa de R$ 1 milhão seria destinada ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

A fala de Valadão, que virou alvo do parlamentar, ocorreu em culto da Lagoinha Orlando Church no último domingo (2). A mensagem faz parte de uma série chamada “Censura Não”.

Publicidade

O Pastor André Valadão se pronunciou negando as acusações de que teria incentivado a morte de homossexuais. O pastor explica que, ao dizer “agora está com vocês”, ele quis dizer que é hora de combater o pecado e de voltar à “essência” da vontade divina para a humanidade.

Assista ao vídeo do pronunciamento completo:
https://www.instagram.com/reel/CuPWE0Uxymu/?utm_source=ig_web_copy_link&igshid=MzRlODBiNWFlZA==

Gospel Channel – Carolina Fragoso, com informações da Conexão Política e Pleno News.

Continue lendo

Política

Lula promete imitar Bolsonaro no formato de lives, mas não ultrapassa 6 mil espectadores simultâneos

Publicado

em

Nesta terça-feira (13), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizou uma transmissão ao vivo, mas parece que não teve a quantidade de espectadores esperada para assistir à chamada “Conversa com o Presidente”.

Essa foi a primeira live, que, segundo Lula, acontecerá semanalmente. O formato de lives é um projeto bem-sucedido que o ex-presidente Jair Messias Bolsonaro manteve durante todo o seu mandato, onde conversava diretamente e de modo intimista com seus eleitores sobre as ações do governo.

O atual presidente resolveu adotar a mesma estratégia para tentar se aproximar dos eleitores e produzir engajamento e popularidade, o que até agora não conseguiu no Congresso Nacional. Porém, em um formato parecido, mais como entrevista, conduzida pelo jornalista Marcos Uchôa, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), não como uma conversa direto com seus eleitores, como Bolsonaro fazia.

Mas parece que as expectativas não foram supridas, já que sua live teve apenas 6 mil espectadores simultâneos no YouTube. O valor é inferior aos números alcançados por Bolsonaro.

Além dos números de espectadores, a duração da transmissão também foi menor do que as lives que Jair Bolsonaro realizava. Apesar da estreia fraca, o petista se comprometeu em manter o programa semanal, sempre às terças-feiras, para discutir com Uchôa assuntos relevantes.

Publicidade

Gospel Channel – Carolina Fragoso com informações da JP News e Pleno News

Continue lendo

Política

Desembargador do TRF1 manda soltar Milton Ribeiro e pastores

Publicado

em

O desembargador Ney Bello, do TRF1, acabou de conceder uma liminar para soltar o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e estendeu sua decisão aos outros quatro presos na operação de quarta-feira.

São eles os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, o ex-assessor de Ribeiro no MEC, Luciano de Freitas Musse, e o ex-assessor da prefeitura de Goiânia, Helder Diego da Silva Bartolomeu.

Bello concedeu o habeas-corpus impetrado pelos advogados do ex-ministro no início da tarde desta quinta, com validade até o julgamento de mérito pelo colegiado da Terceira Turma deste Tribunal Regional Federal da 1ª Região. De ofício, ou seja, por iniciativa própria, ele ampliou os efeitos da liminar aos outros indiciados presos.

Ribeiro é acusado de ter cometido os crimes de tráfico de influência, advocacia administrativa, prevaricação e corrupção passiva. Enquanto ministro da Educação, ele abriu as portas da pasta para que pastores evangélicos instalassem um balcão de negócios com prefeituras para liberação de verbas do FNDE. O escândalo forçou a sua demissão, no final de março.

A defesa do ex-integrante do governo Bolsonaro reclamou que não teve acesso à decisão judicial que decretou a prisão preventiva contra Ribeiro, que está sob sigilo. O desembargador, que também não leu a decisão, concordou:

Publicidade

“Num Estado Democrático de Direito ninguém é preso sem o devido acesso à decisão que lhe conduz
ao cárcere, pelo motivo óbvio de que é impossível se defender daquilo que não se sabe o que é”, escreveu Bello.

Ele disse ainda que não se sacrifica a liberdade sem justa causa e verificou que não existem, “nesse momento processual, as condições de manutenção da combatida segregação cautelar”. Isso porque, segundo o magistrado, não há mais nenhum vínculo entre Ribeiro e o serviço público, o que impossibilita a prática de qualquer ato. E também porque os fatos investigados teriam ocorrido meses atrás, inutilizando a prisão preventiva.

“Como o próprio nome já indica, a prisão preventiva serve para prevenir, não para punir; serve para proteger e não para retribuir o mal porventura feito”, apontou.

Mais cedo, nesta quinta, o desembargador plantonista Morais da Rocha havia rejeitado o pedido da defesa do ex-ministro, afirmando que os advogados não haviam apresentado os documentos necessários para comprovar “constrangimento ilegal” na prisão.

Em nota, a defesa de Ribeiro diz que, “felizmente, a ilegalidade foi reconhecida, e a prisão, revogada“.

“A defesa aguarda o trâmite e a conclusão do inquérito, quando espera que será reconhecida a inocência do ex-ministro”, diz o advogado Daniel Bialski.

Publicidade

Silas Malafaia tinha razão!

Em março, logo que o caso veio à tona, o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo declarou ser a favor de quebra de sigilo fiscal e telefônico dos envolvidos em irregularidades — e defendeu adefendeu a demissão do ex-chefe do MEC.

“Vai fazer um favor aos pastores evangélicos no Brasil. Somos mais de 200.000 pastores no país e não vamos tomar lama por causa de dois camaradas”, disse na ocasião.

Um dos principais aliados do governo Boslonaro, Malafaia chegou a dizer que não encobriria possíveis malfeitos e criticou Ribeiro ao dizer que deveria “provar que é honesto” e ser mais “veemente” nessa defesa.

Gospel Channel com informações da Veja

Publicidade
Continue lendo

Trending